videos Força Teen

Loading...

terça-feira, 1 de abril de 2008

Provações, Frustações e Deserto na vida Cristã



Provações, Frustações e Deserto na vida cristã




Essas são experiências comuns em nossa vida cristã. Então como compreendê-las e vencê-las?
Nesses momentos costumamos nos sentir derrotados e frustrados, ainda mais quando vemos a Bíblia nos ordenando à alegrarmos nestas horas (Tg 1:2, I Pe 1:6, I Pe 4:12-13).


O que é provação e tentação? Ha diferença entre provação e tentação? Porque em algumas Bíblias aparece a palavra tentação, e em outras o mesmo texto apresenta a palavra provação?
Na Bíblia a palavra traduzida como tentação ou provação é a mesma: “peraismos”.
Peraismo quer dizer teste, prova.
Há vários tipos de provas (I Pe 1:6) a que podemos ser submetidos: perseguições, doenças, problemas sérios, oposição desencadeada por Satanás, aparente distância de Deus, etc...
Todos estes tipos de testes são “provações”.


A diferença entre tentação e provação é mais didática do que prática, pois freqüentemente se confundem. Toda tentação é uma provação e toda provação pode vir a ser uma tentação. Basta para isso que Satanás nos induza ao pecado, em meio à provação. Veja o exemplo de Jó, que sendo provado foi tentado, Jó 2:9.


Há um tipo em especial de provação, é aquela desencadeada por Satanás, visando a derrota do ser humano, valendo-se de uma cobiça interior que existe dentro de cada um de nos, para tentar-nos e induzir-nos ao pecado. Esta prova é uma “tentação”. Este tipo maligno de “peraismos” Deus não faz. É o que diz Tiago 1:13-15.


A aparente distância de Deus, também é às vezes um teste, visando provar nossa fé e perseverança em suas promessas. Este teste é o que chamamos “deserto espiritual”, sensação de vazio a chamada frieza espiritual.

QUAIS AS CAUSAS DE NOSSAS PROVAÇÕES?


1° O mundo: Depois do pecado, este mundo foi condenado a cardos e abrolhos, tristeza, dor, morte, aflição, desamor, ódio, egoísmo e toda sorte de males. O mundo está preso a isto até o dia de sua transformação (Rm 8:19-22). Mesmo nós, crentes e salvos, enquanto vivermos neste corpo e neste mundo estamos sujeitos a estes sofrimentos, Rm 8:23.
As aflições são marcas deste mundo. (Jo 16:33), e Deus não pode fornecer agora um mundo perfeito a todos nós imperfeitos.


Sofrimentos inerentes ao mundo imperfeito, com serer humanos imperfeitos: doenças, intrigas, dificuldades financeiras, guerras, catástrofes, etc. Tudo isso os crentes também passam porque estão neste mundo.



2° Satanás: Ele é o príncipe deste mundo, e tenta afastar o ser humano de Deus principalmente os salvos. Assim, além de seu grau de ódio normal contra o ser humano, há uma oposição mais ferrenha contra nós. Ele produz toda sorte de tentações que possamos imaginar (I Pe 5:8, II Tm 3:12, Lc 22:31).




3° A permissão e o controle de Deus: O que diferencia o filho de Deus, salvo, do ímpio é que os sofrimentos inerentes a este mundo, e os ataques de Satanás, só são feitos sob a permissão e o controle de Deus, chegando somente ao ponto máximo de nossa resistência, sem ultrapassá-la. Além disto Deus nos fornece nesta hora poder para escape, servindo-nos tudo isto como teste de fé, I Co 10:13. Deus é fiel! A nossa garantia e descanso nas horas de sofrimento e provação, é fidelidade de um Deus eterno, amoroso, e que não mente Hb 6:18.


Basta a você, a garantia da Palavra de Deus? Você confia na sua fidelidade? II Tm 2:13.




Porque Deus permite que isso aconteça? Quais são seus objetivos?



1. Qualificar nossa fé - I Pe 1-7 como o ouro é provado valioso pelo fogo, e ao mesmo tempo é purificado de impurezas, assim, também acontece com nossa fé. A provação é o fogo (mesmo que este seja aceso por Satanás).



2. Multiplicar nossa fé - Como um músculo necessita ser exercitado com pesos e esforços para poder crescer, assim também deve ser com a nossa fé, para que não se atrofie precisa ser exercitada com provações e tentações. “O justo vive pela fé” - quanto mais fé, mais vida. Quanto mais provação mais fé e mais vida.



3. Produzir virtudes em nós - Tg 1:3 e 4, Rm 5:3 e 4. Para que saibamos que nas horas difíceis, temos Cristo em nossas vidas, e tudo vem para o nosso crescimento.



4. Recompensar-nos no fim de tudo - Tg 1:12, I Pe 1:7, I Pe 1:13 e 14, I Pe 5:10, Rm 8:18, II Co 4:17.Pois através de todas as provas, seremos aperfeiçoados, lapidados e transformados, para seguirmos em frente, nos caminhos do Senhor.



5. Torna-nos íntegros - Tg 1:4, integridade é mais valioso do que inocência. Integridade é manter-se reto diante de provas.



6. Revelar atributos - Há atributos de Deus que só conheceremos nas provações. Amor, perdão, poder...



7. Corrigir-nos e disciplinar-nos - Hb 12:4-8. Para que venhamos a crescer espiritualmente.



8. Glorificar o Seu Nome - Jo 9:3 e 11:4. Mostrando que mesmo as provas o Senhor esta conosco, e assim pode dizer "até aqui nós tem ajudado o Senhor".



9. Conduzir-nos a Ele, buscando-O nas horas difíceis (Sl 34:6, Sl 119:71). Sendo, nas horas mas difíceis, que procuramos mais a face de Deus.




O QUE É DESERTO?


Porque algumas vezes nos sentimos vazios, até mesmo frios espiritualmente. Parecendo que Deus não nos ouve?
Deus sempre estará conosco, Jesus prometeu estar conosco todos os dias até a consumação do século, o Espírito Santo faz morada em nós. Portanto a Trindade está sempre conosco, presente em nossas vidas.


No entanto eu posso sentir isto ou não. Posso ver isto ou não. Quando eu não sinto ou não vejo Deus comigo (Deserto), me vem uma sensação de vazio, um abandono, uma verdadeira frieza espiritual. Mas Deus não quer isto, Ele quer que pela fé (Hb 11:1) eu creia que Ele está comigo, e que haja abundância de vida mesmoquando estamos no deserto, Sl 84:6, Jó 35:14.
Deserto é a dificuldade de ver e sentir a presença de Deus, embora Ele sempre esteja conosco (Sl 34:18).



Há 3 razões que Deus nos faz passar no deserto.



I. Quando Deus quer trabalhar em nossa fé, e fé é ter convicção de fatos que não se vêem, muitas vezes Deus permite que não o sintamos presente, para exercitarmos a nossa fé.“Ele está aqui, embora não o sinta”.Exemplo: Ex 14; 15:22,27; 16:12; 17:1, Dt 8:15 e 16, Mt 4:1, Sl 23:2-4, Jr 17:7 e 8, Mt 14:22-25.



II. Pecados ou voluntários afastamentos de Deus. Este tipo de deserto não é propriamente uma provação, mas sim, conseqüência de uma derrota espiritual. O pecado nos afasta de Deus, e o abandono da oração e da leitura diária da Bíblia, nos traz também frieza espiritual. 2Sm 11; 12:6; Sl 51:11.




III. Peculiar característica física ou temperamental. I Rs 19:4. Elias era homem muito abençoado e temente a Deus. Não fora Deus quem o conduzira ao deserto, e nem pecado, mas um problema, um medo, uma ameaça o fez entrar em depressão. Elias era um Melancólico. Todos temos um pouco do temperamento melancólico, mas há pessoas marcadamente melancólicas, que constantemente estão em desertos.Os melancólicos são introvertidos, escrupulosos, meticulosos, exigentes, pensadores, auto depreciadores.
Dicionário: Definição / Significado melancolismo sm (melancolia+ismo) Opinião ou sistema de quem vê tudo sob o prisma da tristeza.





COMO AGIR NOS DESERTOS

1) Usar a fé e não sentidos II Co 5:7, crer que Deus está ali mesmo que não o veja ou o sinta.
2) Manter vida devocional, mesmo que não haja “o calor da sua presença”.
3) Preservar enquanto durar o deserto. O de Jesus durou 40 dias. O dos Judeus 40 anos. O seu durará enquanto você necessitar.
4) Se houver pecado, confesse-o.
5) Se estiver doente vá ao médico.
6) Deixe o Espírito mudar seu temperamento, se for este o seu caso.

COMO AGIR NAS PROVAÇÕES DE MANEIRA GERAL?

1) Confiar nas promessas.I Co 1:13, I Pe 1:5, I Pe 4:10, Mt 26:20.
2) Perseverar ao lado do Senhor, descansando - I Pe 5:7.
3) Opondo-se e resistindo ao diabo e às tentações.I Pe 5:8 e 9, Tg 4:8.
4) Alegrar-se nas bênçãos provenientes das provações I Pe 1:6.






Quando estamos passando pelo Deserto, Provações, Tentações é o momento de avaliarmos a nossa vida, sabermos onde esta nossos erros, e confessarmos nossos pecados a Deus.


Mas também devemos parar e escutar a voz do Espirito Santo, para saber se tudo isso, não é da vontade de Deus, para que venhamos a crescer, mais na presença dEle. Toda vez que estivermos em meio a uma tribulação, o melhor ainda continua sendo a oração, jejum, leitura da Bíblia, e perseverança nas promessas de Deus para você.





Pesquisado na internet.






quarta-feira, 5 de março de 2008


Por que o mês de fevereiro tem apenas 28 dias?


No ano de 46 a.C. o imperador romano Júlio César promoveu uma reforma no calendário: um dia foi acrescentado a cada quatro anos – daí o ano bissexto – e os meses passaram a ter, alternadamente, trinta ou 31 dias. Nos anos bissextos, o mês de fevereiro, que já tinha 29 dias, ficava com trinta. Em 44 a.C., no segundo ano de vigência desse calendário Juliano, o Senado decidiu homenagear o imperador e propôs que o mês Quintilis – que tinha 31 dias – passasse a se chamar Julius (julho).

Trinta e seis anos depois, em 8 a.C., o nome do oitavo mês, Sextilis, foi mudado para Augustus (agosto) em honra para o então imperador César Augusto. Mas, como o mês escolhido para homenagear Augusto tinha trinta dias, um a menos que o de Júlio César, optou-se por tirar um dia de fevereiro – que ficou com 28 dias – e adicioná-lo a Sextilis.

Para manter o critério de alternância do Calendário Juliano – um mês com trinta, outro com 31 dias –, já que agosto ficou com 31 dias, setembro passou a ter 30 e assim sucessivamente.

Extraido da Revista Superinteressante

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008



A luta contra as potestades do mal
Efésios 6: 10-20





Existe um mundo espiritual que, embora não possamos ver, tem influência poderosa sobre o mundo físico. A Bíblia faz referência a anjos e a demônios, seres espirituais que agem na terra. Antes da conversão, o homem é escravizado pelas forças do mal, Ef 2: 2-3, mas não tem consciência disso. A partir do momento em que se entrega a Cristo, o crente se envolve numa intensa batalha espiritual. O príncipe do império das trevas, de onde fomos libertos, não se dá por vencido. E daí? Vamos ignorar essas verdades ou vamos enfrentar esta batalha? Que armas temos à nossa disposição e quais são? É isso que veremos neste estudo.


I. POR QUE NÃO DEVEMOS IGNORAR A BATALHA ESPIRITUAL


A Bíblia dá muita ênfase ao assunto. Segundo as Escrituras, existe uma contínua e intensa batalha entre a luz e as trevas, entre Cristo e Satanás, entre a Igreja e o inferno, 1 Pe 5: 8, 9. Há uma verdadeira riqueza de textos bíblicos que falam acerca do assunto, mostrando como os espíritos das trevas trouxeram intenso sofrimento às pessoas:
. Satanás transtornou a vida de Jó, Jó 1: 12-19;
. Jesus foi tentado pelo diabo, no deserto, Mt. 4: 1-11;
. Nos Evangelhos, relatos sobre a ação do diabo impressionam:
o gadareno, possuído por legiões de demônios, Mc 5: 1-20;
o jovem que era jogado na água e no fogo, Mc 9: 14-22;
Maria Madalena, liberta de sete demônios, Lc 8: 2;
espíritos de enfermidade, Lc. 13: 11-13;
. Ananias e Safira foram enganados por Satanás para que mentissem ao apóstolo Pedro, At 5: 11-13.
Para ludibriar o homem, Satanás se transforma até em anjo de luz e seus ministros são capazes de se mascararem como ministros de justiça, 2 Co 11: 13-15.


II. COMO DESFAZER AS ESTRATÉGIAS DO INIMIGO

1. Conhecer o inimigo.


Paulo, em Efésios 6: 12, fala de uma hierarquia no reino das trevas. Principados são os chefes ou os líderes da maldade; os dominadores são espíritos malignos; as potestades são os que têm poder para governar. Todos promovem males na terra.

a) Estes principados, dominadores e potestades do mal procuram levar o homem à desobediência, à insubmissão. Tornam as pessoas irreverentes e insubordinadas quanto ao seu comportamento, Ef 2: 2.

b) Estes espíritos malignos atuam também como agitadores da consciência humana, fazendo com que sentimentos de culpa sejam mais intensos, Zc 3: 1-5.
Os seres invisíveis da maldade são acusadores. Vemos claro exemplo em Jó 1: 1-12 quando o diabo fica questionando a respeito da integridade e justiça de Jó. A busca exagerada, detalhista e obcecada de “justiça” é também diabólica. Tenhamos cuidado com o exagero legalista.

2. Conhecer e tomar posse das armas celestiais, 2 Co 10: 4-5.

As armas da nossa guerra são ofensivas e defensivas, 2 Co 6: 7. Vejamos:

a) Armas ofensivas O Nome de Jesus. Fp 2: 9-10.
É a arma mais poderosa contra o inimigo. Ele tem autoridade sobre os seres angelicais, sobre os homens e sobre os demônios. Jesus está acima de todo principado, e potestade, e poder e domínio, Efésios 1: 20-22.
Oração. Ef. 6: 18. Esta é a arma que nos coloca em contato direto com o mundo espiritual. A oração nos fortalece, nos capacita para conquistarmos todo o território que o diabo invadiu. Veja Marcos 3: 23-29.

b) As armas defensivas, Ef 6: 13-18.
O Senhor equipou Sua Igreja com uma armadura sobrenatural para que ela exerça domínio sobre o reino da maldade e resista às suas forças, a fim de sair da guerra sã e salva.

O capacete - v. 17. Paulo faz esta peça representar a salvação, possivelmente referindo-se a Isaías 59: 17. A salvação protege o homem em Cristo de ser desintegrado sob os efeitos condenadores do pecado.

O cinto da verdade - v. 14. A verdade é Jesus. O cristão deverá estar inteiramente ligado a Ele numa comunhão perfeita, Jo 15: 2-7. Esta armadura significa que o cristão se reveste do Senhor Jesus, assumindo a natureza moral de Cristo, Rm 8: 29.

A couraça da justiça - v. 14. O crente está revestido da justiça de Deus, Rm. 3: 21 e 5: 1. Sua culpa foi lançada na cruz de Cristo, Rm 13: 12-14 e Ef 4: 24.

Pés calçados com a preparação do evangelho da paz -v. 15. Significa o estabelecimento de um alicerce espiritual firme. Assim calçados, com prontidão e disposição, aparecem os pés daqueles que cruzam desertos e terrenos montanhosos, levando as boas novas da paz, Is 52: 7-9.


PESQUISADO NA INTERNET












sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

O PEIXE


PEIXE ( ICHTHUS )

O peixe não é um símbolo cristão por causa dos discípulos que eram pescadores, nem porque Jesus multiplicou os pães e os peixes, nem porque Pedro pegou a moeda na boca do peixe.
O peixe foi um símbolo muito importante na vida dos primeiros cristãos. Surgiu na época da formação das primeiras comunidades cristãs. Quando se deu o ínicio das perseguições aos cristãos pelo Império Romano e outras religiões da época, que tinham o intuito de acabar com o cristianismo. Mas os seguidores de Jesus Cristo não cederam as ameaças, mesmo estando sempre sobre constantes perseguições, pressões e geralmente risco de vida, eles continuaram a confessar sua fé em Cristo, reunindo-se, ensinando e vivendo os mandamentos que Jesus havia dito.
Devido as constantes perseguições, e morte de muitos cristãos, essas pessoas necessitavam, de um símbolo que identificasse sua fé, sem coloca-los em perigo, criando assim O PEIXE, usando como um sinal secreto de fé. Este símbolo foi escolhido porque a palavra peixe em grego, é um acróstico ( são formas textuais onde a primeira letra de cada frase ou verso formam uma palavra ou frase ) que forma assim uma frase que é uma confissão de fé. O nome em grego ICHTHUS ou ICHTHYS. Iesus CHristus THeos Yios Soter, que em português que dizer: Jesus Cristo Deus Filho Salvador.

Iesus ****** Jesus
CHristus ****** Cristo
THeos ****** Deus
Yios ****** Filho
Soter ****** Salvador

Assim, para que um cristão identificasse um outro cristão, ele desenhava um arco na areia. Se a outra pessoa era cristã, desenhava o arco ao contrario, formando assim, o desenho de um peixe, assim sabendo então que os dois eram cristão. Com o passar dos anos a figura de um peixe, associou-se ao cristianismo.

Esta foi a maneira que os cristãos daquela época utilizaram para continuar se encontrando, testemunhando e proclamando a fé que eles tinham em Jesus Cristo e resistindo as perseguições do Império Romano.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Point Força Teen


O Point Força Teen, surgiu com o objetivo de unir os teenagers da CB'Shalom Internacional / Boston.
Com uma visão voltada a evangelismo e missões, dentro da visão da CB'Shalom, estamos procurando, conscientizar os teenagers sobre a importância da oração, santidade ao Senhor e o amor pelas almas que ainda não conhecem a Cristo. tendo sua visão voltada para a evangelização desses, e o quanto importante é cumprir o IDE por todo o mundo e pregar as boas novas de Salvação. Também estamos promovendo momentos únicos e inesquecíveis, com brincadeiras, cinemas, muita diversão e cultos evangelísticos e de comunhão, sempre na presença de Deus.
Com proteção e coberturta espiritual, além de muita ajuda vinda por Pastora Regina, Pastora Dodora, Bispo Edmar, entre outros, e ainda especialmente podemos contar com o apoio e total colaboração do nosso lider Apóstolo Jota Moura, o qual nos tem dado um grande auxílio e acompanhamento em nossos projetos.
Temos convicção que Cristo é o Único Caminho, e por isso temos procurado seguir esse caminho em linha reta.
E com a certeza de que esta é a Geração Eleita como esta escrito em Salmos:"Esta é a geração daqueles que buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó. " ( Salmos 24:06 ARA).
Então juntemos nossas forças para proclamar o Evangelho de Cristo, até que Ele venha. Sempre com a única certeza de que Jesus Cristo Reina.

Shalom...